.posts recentes

. ...

. A Geringonça

. Presépio ao Vivo 2016

. Sr Contente e Sr Feliz

. ...

. NATAL HOJE

. A ÓPERA DOS MALANDROS

. O BRASEADO

. FOI POR VONTADE DO POVO

. Halloween português

.arquivos

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Maio 2014

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Setembro 2011

. Maio 2011

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

Sexta-feira, 21 de Setembro de 2007

POEMA DE OUTONO

 

O OUTONO chegou

que lindo dia!

 

Vem, amor,

vem passear comigo pela rua,

que bom vai ser

sentir a minha mão na tua.

 

Olharemos o céu

com o mesmo olhar extasiado,

que bom vai ser

pisar as folhas a teu lado.

 

Ouvir o pássaro cantar

por sobre o ramo despido

e o sussurrar do teu amor

no meu ouvido.

 

Gente irá passando

alheada junto a nós,

que bom vai ser

sentir o mundo

e estarmos sós.

 

Num banco de jardim

soprado por fresca brisa

falar-te-ei de mim

serei poetisa.

 

Mas, se a brisa soprar

mais fresca e mais agreste,

irei buscar

o xaile que me deste.

 

E o brilho do nosso olhar

que em ternura se reflecte

será poesia, canção,

magia que se repete.

 


publicado por brizissima às 00:38

link do post | comentar | favorito

6 comentários:
De A. João Soares a 21 de Setembro de 2007 às 08:06
Está muito bom, como era de esperar. A melhor homenagem foi a transcrição para o CVS-Sempre Jovens.
Parabéns e obrigado pela colaborção.
Espero a sua inscrição neste grupo de gente maravilhosa.
Abraço


De Nostradamus a 21 de Setembro de 2007 às 15:49
É o Outono da vida que sopra os cabelos ao vento e as geadas que os tornam brancos


De brizissima a 22 de Setembro de 2007 às 21:32
Concordo consigo mas, apesar dos ventos e da geada, os raios de sol continuam a insinuar-se e a aquecerem todas as estações das nossas vidas.


De A. João Soares a 21 de Setembro de 2007 às 19:21
Uma INFORMAÇÃO:
Este post e o anterior foram transcritos em A Voz do Povo. Este tem lá um comentário simpático, para o qual será conveniente uma reacção da Brizíssima.
Abraço


De brizissima a 22 de Setembro de 2007 às 21:37
Apreciei imenso a minha inclusão na VOZ DO POVO.
Espero poder continuar a merecer a vossa apreciação à minha poesia. Obrigada.


De A. João Soares a 22 de Setembro de 2007 às 22:03
OHHH!!! Minha Amiga,
avance e vá até lá deixar um comentário e uma palavra de gratidão às visitantes que deixaram comentário simpático. Depois avance para os blogs delas e mostre-lhes a sua simpatia. Tem ali admiradoras muito úteis para o lançamento do Brizíssima.
Desculpe insistir, mas é apenas uma ajuda para se impor na blogosfera, pondo de lado receio e timidez.
Abraços


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28


.tags

. todas as tags

.favorito

. GAZETILHA

. NEVOEIRO

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds