.posts recentes

. ...

. A Geringonça

. Presépio ao Vivo 2016

. Sr Contente e Sr Feliz

. ...

. NATAL HOJE

. A ÓPERA DOS MALANDROS

. O BRASEADO

. FOI POR VONTADE DO POVO

. Halloween português

.arquivos

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Maio 2014

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Setembro 2011

. Maio 2011

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

Sexta-feira, 5 de Outubro de 2007

OUTONO III

 

Verdes emurchecentes, desmaiados,

um céu ainda azul mas de sol pálido

um encanto todo feito em tons magoados

um entardecer belo, doce, cálido

 

A brisa agita mais a ramaria

e faz cair as folhas já cansadas

que inertes no chão, em agonia,

soltam soluços quando são pisadas

 

Tua beleza nem toda a gente a sente

mas a tua magia está presente

na solidão sombria do caminho

 

 

No pisar das folhas mortas, uma a uma,

na vaga alta, toda renda e espuma,

o teu encanto vem, devagarinho... 

 

 


publicado por brizissima às 10:55

link do post | comentar | favorito
|

10 comentários:
De A. João Soares a 5 de Outubro de 2007 às 17:55
Cara Brizíssima,
«O teu encanto vem devagarinho» e, com humildade, serenidade e quase vergonha deixa-nos de presente, para desembrulhar três dias mais tarde, a mais linda festa do ano, o Natal.
A beleza do Outono só pode ser apreciada por espíritos muito sensíveis, fora da euforia da Primavera, dos folguedos do Verão e do tiritar de frio do Inverno. O Outono é a beleza calma e serena das pessoas contemplativas.
Abraço


De brizissima a 5 de Outubro de 2007 às 21:03
Caro amigo.
Quem disse que um comentador político também não pode ser um poeta?. Aliás, com tudo aquilo que tenho lido seu, já tenho a opinião formada de que o meu amigo, além de ser uma pessoa interessada pelas "coisas" do mundo , tem uma sensibilidade a que os poetas são tão ligados. Portanto, estamos a falar de poesia, não é? E, realmente, esta estação do ano é a mais pródiga em devaneios poéticos.
Ainda bem que vai gostando do que eu escrevo. Aliás, é , na verdade, o meu único amigo "activo" nestas lides da Internet. Bem haja!


De A. João Soares a 5 de Outubro de 2007 às 21:37
Cara Amiga,
Não tem razão para se lamentar de ter poucos comentários. Está nas suas mãos granjear mais. A solução consiste em fazer umas visitas e deixar uns comentários. Nem precisa de dizer o seu endereço. Os seus autores sentem-se no dever de retribuir a visita e certamente deixarão umas palavras. E além dos autores dos blogs visitados, aparecerão os outros comentadores que virão satisfazer a curiosidade.
Cristo disse a Lázaro «levanta-te e anda». É isso que eu lhe digo, vá dar umas voltas pelos blogs e deixe um pequeno comentário.
Abraço


De AnnaTree a 7 de Outubro de 2007 às 10:04
Querida Ana Briz; adorei opoema. Outono(the fall) como dizem tão bem os ingleses é a minha estação preferida, na volta é como tu mesma dizes, dá para devaneios poeticos e talvez por isso mesmo eu goste, ou talvez não...talvez seja pelo cheiro das compotas e dos scones com chá preto forte que a Mummy fazia...ñ sei....por isso ficaste referida no meu link escolhido num ramo da minha arvore hoje e amanhã. beijos quridissima
ana a tree


De brizissima a 9 de Outubro de 2007 às 20:21
Cara Anna Tree.
Adorei saber que estou pendurada num ramo da tua árvore. Nada me daria mais prazer. Dela poderei atirar-te alguns poemas pois estou certa de que a tua árvore é de folha perene e, como tal, sempre bela e verdejante. Bjs.


De Folha caída a 11 de Outubro de 2007 às 12:31
Bobby Brown spent a night in the hospital after suffering a mild heart attack, his attorney said Wednesday.



De A. João Soares a 14 de Outubro de 2007 às 20:53
Agradeço a visita ao meu cantinho e o simpático comentário e espero que volte até lá mais vezes.
Abraço


De Pedro Alvites a 6 de Novembro de 2008 às 12:06
Sobre o seu soneto O Adeus apenas me dá para escrever o seguinte:
Curiosíssimo só agora a ter encontrado como poeta, nesta passagem rapidíssima pelos blog's de aquém.
Espero que me dê o prazer de continuar como leitor da sua poesia.

Pedro Alvites


De brizissima a 8 de Novembro de 2008 às 11:50
Grata pelo seu comentário. É sempre agradável saber que alguém aprecia o que escrevemos. Aliás, ser poeta é exactamente partilharcom o mundo dos leitores, o que espero venha a ser o seu casso. Obrigada. Abraço


De pedro alvites a 25 de Novembro de 2008 às 23:00
Muito grato pela sua resposta.
Sinceramente apreciei a sua poesia e gostaria de trocar consigo uma mais informal correspondência sobre poetas e poesia, que a Ana parece ser conhecedora. Parece-me, no entanto, não ser este o melhor lugar para, perante todos, falarmos desses assuntos. Peço-lhe que me envie o seu e-mail para melhor intercâmbio de ideias.
Muito grato pela sua gentileza

Pedro Alvites


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28


.tags

. todas as tags

.favorito

. GAZETILHA

. NEVOEIRO

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds